O horror de Dunwich.

imagem

A editora Hedra tem feito um belo trabalho ao publicar livros do Lovecraft no Brasil, além de autores Russos como Dostoievski. Seus livros estão com ótimas traduções e acabamentos melhores ainda. É uma boa pedida para quem não pode gastar com livros imensos, pois boa parte de sua produção é voltada para livros de bolso, sendo de uma qualidade superior aos da LPM e Martin Claret da vida, que enquanto um peca em tradução o outro que peca tanto em tradução quanto na qualidade final do produto.

Há algum tempo escrevi aqui, que adquiri diversos livros com contos e novelas do Lovecraft diretamente do site da Hedra, que aliás sempre da descontos (confira o site da editora aqui ) Esses dos quais eu devorei em semanas, prometi que escreveria mais sobre esses livros, e depois do Chamado de Chthullu é a vez de o Horror de Dunwich, talvez um dos meus favoritos do autor até agora (se prepara que eu devo dizer isso sobre todos os livros).

Lovecraft é o mestre em histórias diretas, pequenas, sem frescura e com descrições precisas quando necessário. Tudo que o autor produziu não poderia ter o mesmo impacto se fosse escrito de outra maneira. A síntese de sua obra são todos seus contos e suas novelas. Mesmo uma novela com pouco mais de cem páginas, o Horror de Dunwich é de um suspense e terror impressionante.

Diferente do que estamos habituados em suas histórias, dessa vez a narrativa não parte de um dos personagens centrais da trama, e sim de um espectador que talvez tenha morado na pequena cidade de Dunwich.

Quando afirmamos que Lovecraft inspirou diversos autores, como Neil Gaiman, Stephen King e Alan Moore, é em livros como este que este fato fica claro. No inicio da narrativa, com toda a descrição da pequena vila de Dunwich que acompanhamos pelas palavras não fica difícil de imaginar cena após cena, como o casal perdido na estrada, que cruza as figuras bizarras e a paisagem decadente da cidade, o que foi vivenciado nela apenas contribui para que nossa curiosidade fique ainda maior, e logo após toda a descrição chega a hora de partir para a história em si.

Nela, vivenciamos o nascimento de Wilbur Whateley, filho de Lavinia Whateley, da qual ninguem conhece o pai da criança. Com feições de bode e pele morena, chama a atenção de todo o vilarejo por seu desenvolvimento fora do comum, crescendo e envelhecendo antes dos garotos que tem sua mesma idade, o vilarejo morre de medo da família Whateley, pois eles são conhecidos por fazer rituais estranhos no alto da colina, aonde diversos barulhos podem ser escutados no meio da escuridão, a todos deste pequeno Vilarejo chama a atenção o ódio mortal que os cães sentem por Wilbur.

Logo fica claro o envolvimento da família Whateley com o oculto, pois além das diversas descrições dos acontecimentos estranhos que envolvem os Whateley há o fato do avô de Wilbur possuir diversos livros ocultistas, entre eles o famoso Necronomicon, que por sinal tem diversos trechos divulgados nesta novela de Lovecraft, tornando esta obra peça fundamental para o entendimento da mitologia do autor.

A partir daí, acompanhamos a busca do jovem Wilbur por uma versão completa de Necronomicon, pois a do avô é incompleta, enquanto isso, eventos estranhos começam a ocorrer na pequena cidade de Dunwich, acompanhamos o ponto de vista de diversos moradores do vilarejo, e vale o destaque no trabalho feito por Lovecraft na linguagem local dos moradores – e consequentemente na tradução de Guilherme da Silva Braga que conseguiu adaptar para o português a linguagem caipira deles.

Destaque também para o trabalho de ambiente que Lovecraft faz, ao inserir pássaros que avisam com terríveis barulhos quando alguém morre na cidade, os barulhos afetam psicologicamente os moradores da cidade, e a descrição destes barulhos afetam os leitores com o terror psicológico criado pelo escritor. Também não tem como evitar as descrições detalhadas que Lovecraft faz das criaturas no livro, apesar de bizarras, ele o faz de uma maneira tão clara e fora da monotonia que imaginar as cenas se torna um exercício fácil, que entretêm o leitor e atiça a curiosidade para ver qual será a próxima cena, criatura ou detalhe que será apresentado nas próximas páginas.

O livro ainda acompanha quatro textos, eles são duas cartas do autor, o texto “O Sabujo” e uma breve história do Necronomicon. Com isso, esse livro se torna importante para o entendimento da mitologia de Cthullu e os outros deuses criados pelo escritor, tudo isso em apenas 106 paginas!

dunwich-horror-poster-a3

Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: