Archive for the ‘novidades’ Category

Voltei!

março 21, 2017

Após quase 2 (dois) anos, decidi voltar com o blog.

Muita coisa aconteceu, comecei duas empresas, fechei uma, voltei a trabalhar com informática.

Parei de desenhar, voltei a desenhar, parei e voltei recentemente.

Fiz diversos textos, nenhum deles para ser publicado, comecei um livro e larguei na pagina 30.

Li alguns poucos livros, em especial os do Harry Potter,

Sim, virei Potter maníaco.

Vi muita, mas muita série para falar aqui, dentre elas: Fargo, Girls, Louie, Mr. Robot.

Li pouquissimo quadrinhos, na realidade, quase nenhum. O mercado de quadrinhos Brasileiro esta em seu auge, mas mesmo assim, não fico entusiasmado.

O estrangeiro eu larguei de mão, ninguém merece ser torturado com quadrinhos da Marvel e DC.

Penso em mudar o nome do blog, deixar ele voltado apenas para séries, já que leio cada vez menos… seja livros ou quadrinhos.

Essa questão deixarei em aberto por enquanto, por hora o que sinto necessidade é de escrever.

Readings: Os encardenados da editora Savat, ou Porquê os X-Men tem bastante material bom.

setembro 18, 2013

2953592-astonishing-x-men-1-100kTenho comigo o segundo volume, de 60, dos encadernados da editora Savat, sobre aval da PANINI, aonde pretende lançar algumas das principais sagas da Marvel por um preço acessível (29,90 a edição, com capa dura e algum material extra), poderia ser uma espécie de introdução para os jovens e velhos que estão começando a ler quadrinhos agora, e de fato, é.

Apesar da coleção ser relacionada apenas a Marvel, não contendo obras da DC, existe nas edições histórias memoráveis dos personagens desta editora, não ficando apenas presa as sagas novas, que são as primeiras edições da coleção, trazendo X-men de Joss Whedon, Homem-Aranha e Thor de Straczynski ou os Vingadores de Bendis. Haverá também Marvels, com ilustrações de Alex Ross, a Queda de Murdock, de Frank Miller, o inicio da saga do Justiceiro pelas mãos do Garth Ennis, a Morte da Fênix negra por Chris Claremont, entre outros diversos, pode ser conferido aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/The_Official_Marvel_Graphic_Novel_Collection .

Acho interessante observar que a ordem de lançamento das Graphic Novel foi invertida em algumas edições no Brasil. Enquanto foi divulgado apenas a ordem dos quatro primeiros: “Espetacular Homem-Aranha, de volta ao lar”, “X-men – Superdotados”, seguido de “vingadores a queda” e depois “Thor, Renascer dos Deuses”, no exterior a ordem em geral foi logo no segundo volume a saga da Fênix negra, Homem de Ferro Extremis e Os Supremos. Mas essa mudança na ordem é justificada por alguns aspectos: A mudança para um arco mais novo dos X-men a ganhar o encadernado pode atrair tanto o publico que gosta das HQs como um Publico jovem, pois o próprio design e tema da HQ tem poder para chamar este publico, sem decepcionar os mais velhos, já a saga de Thor, renascer dos Deuses substitui Iron Man Extremis por diversas razoes, uma delas é que Iron Man Extremis vai ganhar um encadernado de Luxo pela Panini por um preço bem mais caro neste mês. O segundo foi que a Panini já lançou alguns encadernados do Homem de ferro decorrente do filme, que sempre aumenta as vendas de HQs dos personagens, e como o próximo filme do Thor está para sair em pouco tempo (agora em novembro), nada mais justo que ter um encadernado do personagem nas bancas para quem quer conhece-lo. Já quanto a troca de Os Supremos por vingadores a Queda também pode se dar ao fato de termos 2 ótimos edições dos supremos nas livrarias, com um preço alto, mesma coisa não podemos dizer do livro de A Queda, que se não me engano, não foi tão bem de vendas.

Enfim, apesar de ser a cada 2 semanas, aumentando o custo dos fãs de quadrinhos em 60 reais mensais, estes encadernados valem a pena, muito mais do que acompanhar sagas como “Vingadores X X-Men”.

imagesNa última edição, “Surpreendentes X-men: Superdotados“, seguindo o que vai ser comum a todos os encadernados, colocando subtítulos infelizes nas edições, fica apenas nossa atitude em ignorar ou não o subtitulo, temos os X-men sobre o comando de Joss Whedon e John Cassaday. Joss Whedon é conhecido no mundo da cultura POP por ser o criador de Buffy e Firefly, além de ser indicado ao oscar pelo roteiro em Toy Story, e ser o diretor de Vingadores, fez um enorme sucesso em Surpreendentes X-men, com um roteiro mais aventuresco e pé no chão, dando um destaque a personagem Kitty Pride. Antes de Joss Whedon, Grant Morrison estava no comando dos X-men, trazendo os mutantes em uma boa fase, com roupas de couro, influenciado pelos filmes dos X-Men e histórias adultas e violentas, como o caso de Ciclope com a Emma Frost ou o genocídio de Genosha. Além de trazer forte elementos de cultura Pop para os X-men, sua fase fez com que as histórias dos mutantes chegassem a um novo patamar, mudando totalmente o destino dos heróis.

Enfim, logo de cara Joss Whedon trás de volta os uniformes coloridos e coloca os X-men, agora diretores e professores da escola Xavier, em rota de colisão com os acontecimentos do mundo novamente, para salvar o planeta ou reféns de um lunático.

Segue então após 25 edições, a saída de Joss Whedon e John Cassaday para a entrada de Warren Ellis e Simone Bianchi, aonde leva os X-men a morar em São Francisco, sede aonde tudo teria a ver com eles, pois é conhecida por ser a cidade mais libertária e progressista dos Estados Unidos, ficção cientifica e boas histórias continuaram a ocorrer, porém más decisões editoriais (gosto de pensar na intervenção dos editores), trocaram o ótimo artista, e modificaram as histórias. Enfim, vale lembrar que todos esses escritores contribuíram para o legado de Chris Claremont, Len Wein e John Byrne, todos ótimos autores que tomaram a iniciativa nos anos 70 em transformar os Mutantes em representantes das minorias, como as raciais e sexuais,

Vale lembrar que a primeira reformulação da equipe a transformou na primeira equipe de heróis aonde tínhamos personagens de diferentes nacionalidades, trocando assim os cinco personagens originais que mais pareciam ser descendentes ítalo-americanos e irlandeses por personagens como Wolverine, que era Canadense, Noturno, que era Alemão, Colossus que era Russo(isso em plena guerra fria!), Tempestade, descendente de uma queniana e um americano, Pássaro Trovejante, um Índio, Solaris, do Japão, e Banshee, Irlandês.

Com o discurso “Eu tive um sonho” de Martin Luther King sempre presente nas palavras do professor Xavier, aumentou em muito, pois os mutantes além de sofrerem preconceito por ser diferentes, também sofreram um genocídio na fase do Grant Morrison, teve uma alternativa de cura para sua doença na fase de Joss Whedon, que não era tao simples assim como aparentava, algo no qual podemos até fazer uma comparação com a cura gay, oferecida por deputados evangélicos e católicos no Brasil, e foram acolhidos na fase de Warren Ellis pela cidade mais libertária dos Estados Unidos.

Infelizmente, más decisões editoriais transformaram Ciclope, Emma Frost, Colossus, Illyana Rasputin e Namor em forças vivas da fênix e ajudaram a transformar os mutantes nos anos 90 novamente, aonde Jim Lee queimava nossos olhos com poses nada heroicas, e sim sexuais, dos heróis.

70's X-Men

Noturno, Salvador Sanz.

julho 3, 2013

Noturno_Salvador_SanzNão existe uma maneira de Noturno passar batido em qualquer livraria em que se encontra:

A bela capa, detalhadamente desenhada, chama atenção até de quem não se interessa por quadrinhos, e este é um mérito cada vez mais comum nas livrarias, outro aspecto é a história e o texto, que vai chamar atenção de quem é assíduo a histórias de terror.

Na história, escrita e desenhada por Salvador Sanz, um misterioso mágico faz dois jovens que não tem nenhum contato, a não ser a alma gêmea um do outro, desaparecer em uma platéia, pouco depois, descobrimos que ambos começaram a se transformar a noite em pássaros gigantes, o corpo deles e de outros homens e mulheres são usados como portais para trazer ao mundo estes seres bestiais, enquanto seu corpo fica envolto no mundo deles, essa analogia me lembra muito Matrix, aonde os pássaros entram no mundo real enquanto seus hospedeiros ficam encapsulados, isso torna a trama até um pouco sci-fi, o ponto alto, na minha opinião, é no momento em que ocorre a metamorfose, cenas detalhadamente construídas, quadro a quadro, faz a gente literalmente entrar dentro do quadrinho e viver aquele momento lentamente enquanto os protagonistas se transformam em monstros gigantes. Os dois jovens, chamados Lúcio e Lúcia, tem personalidade própria, e a primeira metade do livro é voltado ao Lúcio tentar encontrar Lúcia após em uma das transformações ser acordado por uma criatura que serviu de experimento aos primeiros Noturnos, de aparência bizarra, ela ensina a eles uma maneira de sair da maldição, que seria o ato carnal no momento correto, este, que é o da transformação. Fica meio confuso para mim qual o verdadeiro objetivo desta besta disforme, pois o que ocorre quando os dois se junta é o fato de uma criatura mais forte e aterradora nascer, em uma fusão da metamorfose dos dois, esta cena também fica destacada pela maneira na qual ela é detalhada.

Outro mérito é o clima sombrio em uma arte realista, que me lembrou muito John Cassaday, grande ilustrador de Planetary.

Salvador Sanz é mais um da coleção que foi lançada pela editora Zarabatana, que tenho orgulho de dizer que é natural de minha terra, Campinas. A editora tem lançado essa coleção, que trouxe a bela revista fierro ao Brasil, com Quadrinhos de artistas Argentinos e de outras nacionalidades, mas no formato Livro aqui, tendo também participação de quadrinhistas Brasileiros, também publica em forma separada, assim como no caso de Noturno, histórias que saíram primeiramente seriadas nessa mesma revista. Ano passado ela foi responsável junto ao estúdio Mandacaru, de fazer a exposição do Liniers ao Brasil, outro artista que tem seus álbuns “macanudo” publicados aqui, recentemente também a editora trouxe também Ângela Della Morte, também do Salvador e que mais uma vez mistura terror com sci-fi, entre minhas próximas aquisições, com certeza está será uma delas.

Zara_AngelaDellaMorteCapaBg

Monge Russo, segundo desenho.

junho 26, 2013

Ultimamente sinto um surto de vontade de desenhar, então segue ai mais um monge russo+cuca de fundo.

CUCA

Sobre a mudança do título e sobre a nova perspectiva do Blog, e o que isso tem a ver com Dostoievski.

junho 18, 2013

Olá, como já disse anteriormente, mudei o nome do blog.

 

Isso depois de alguns anos de atividade e inatividade. Sempre gostei muito do trovador, mas acho que as vezes temos de mudar. Como meu foco sempre foi quadrinhos diferenciados e mais difíceis de ser encontrados, resolvi escolher esse nome.

Tenho um projeto de produzir um quadrinho biográfico sobre a vida do Dostoievski, em preto e branco, talvez com pouquíssimas cores. O projeto ainda é um feto, mas mesmo assim estou trabalhando nele, tenho lido tudo o que é possivel sobre o monstro da literatura, e comecei um caderno de esboço para os personagens, recentemente desenhei alguns monges ortodoxos russos, esses seres peculiares que assustam criancinhas com suas roupas extravagantes e seus rostos severos. Espero que todos gostem disso que estou preparando, pois é um projeto de longa data e que provavelmente vai demorar uma década para terminar, eu estou coletando todo material possível sobre o autor, desde cartas, livros, etc. Se alguém tiver algo que possa ser interessante, como documentos e fotos, favor enviar para meu e-mail: gustavotrevisolli@gmail.com

Abaixo segue um primeiro desenho de um monge russo:

 

mongerusso

 

Personagem transgênero na DC comics.

abril 11, 2013

Se eu vi muita gente bravo e tomando dores pelo Lanterna verde original ser gay, vou ter orgasmos múltiplos com a nova orientação da colega de quarto da Batwoman, que além de transgênera é também bi, sendo assim, homem que virou mulher, mas que namora homem e mulher. Infelizmente as pessoas perdem tempo querendo entender isso, não existe o que entender, o que existe é aceitar, cada pessoa tem seu gênero e sua orientação sexual.

 

Ponto para a DC, ela está se redimindo neste quesito.

Matéria do universohq.com:

 

DC Comics revela personagem transgênero em Batgirl # 19

Por Samir Naliato   Siga Samir Naliato no Twitter   | 11-04-2013

Batgirl # 19

A revista Batgirl # 19, que conta com roteiros de Gail Simone e arte de , foi lançada ontem nos Estados Unidos causando uma grande repercussão na mídia. O motivo é a revelação de que Alysia Yeoh, personagem com a qual a heroína divide o apartamento e cuja primeira aparição se deu em Batgirl # 1(setembro de 2011), revelou ser transgênero e bissexual.

De acordo com a DC Comics, esta seria o primeiro transgênero a aparecer em uma revista popular de super-heróis.

A inspiração de Simone veio de uma conversa com o escritor Greg Rucka (um dos responsáveis pela criação da nova Batowman, que, nas histórias, é abertamente homossexual), há alguns anos, na convenção WonderCon. “Olhei para o público e vi dezenas de rostos, muitos deles LGBT, e todos leitores ávidos de quadrinhos. Daí me questionei o motivo de não falarmos mais sobre o assunto e representarmos melhor essa parcela dos nossos leitores”, revelou durante entrevista ao site Wired.

A autora apresentou a proposta para o editor Dan DiDio, que aprovou a ideia. “Pensei que teria que fazer uma grande defesa da proposta, mas ele apenas parou, me perguntou como isso afetaria a história da Barbara Gordon, e aprovou imediatamente”, revela.

Para ela, a diversidade é um assunto muito importante para ser abordado nos quadrinhos de super-heróis. “Nós temos um problema que outras mídias não possuem. Quase todos os principais personagens da indústria foram criados há mais de 50 anos, e não podemos ficar nos baseando apenas nos conceitos daquela época”.

A diversidade de opção sexual tem sido um tema que vem ganhando bastante espaço nos quadrinhos ultimamente, com a DC e Marvel sendo bem abertas sobre o assunto. Na DC, além da Batwoman, e o Lanterna Verde da Terra 2 também é gay. Já na “Casa das Ideias”, o herói mutante Estrela Polar se casou com seu parceiro.

 

Batgirl # 19Batgirl # 19Batgirl # 19

Mais um bom projeto no catarse, Shogum dos Mortos de Daniel Werneck.

janeiro 28, 2013

Com uma arte fina e uma história legal, Shogum dos Mortos – vol. 1 – Crepúsculo dos Samurais, de Daniel Werneck está procurando financiamento para um projeto de quadrinhos. Com diversas recompensas como “Tarô” dos mortos e “Biscoito da morte”, o empreendimento vale a pena para fãs de zumbis e comics, divulguei outros projetos financiados na catarse aqui e aqui.

Segundo a história do próprio autor:

Shogum dos Mortos é uma série de quadrinhos ambientada em um universo ficcional que se parece bastante com o Japão feudal, mas com algumas diferenças macabras. A principal delas é que um general sem escrúpulos fez um pacto com Izanami, a deusa caída, para vencer uma guerra. A partir de então, toda vez que um dos soldados do shogum morre em combate, ressuscita no dia seguinte para continuar lutando – algo meio zumbi, meio vampiro, mas totalmente esquisito.”

Você pode doar R$10,00, R$25,00, R$50,00, R$125,00 e R$250,00.

Vale muito a pena colaborar. Não vou explicar o que pode ser conferido na página do catarse, aqui:

http://catarse.me/pt/ShogumDosMortos#about